News

Álbum da Semana: Erika de Casier - “Still”

Com seu terceiro álbum, Erika de Casier nos deslumbra ao nos convidar a um mergulho hiperpop com profundidade comovente.

Erika de Casier, cantora, compositora e produtora dinamarquesa-portuguesa, tem sido aclamada pela sua mistura única de R&B, pop e música eletrônica desde a sua estreia com o disco Essentials. Com base em sua formação multicultural, ela infunde seus vocais suaves, melodias nostálgicas e produção moderna para criar um som distinto que lhe rendeu comparações com artistas icônicas como Aaliyah e Janet Jackson. Erika mais uma vez mostra sua habilidade de criar vocais sensuais e letras introspectivas em seu aguardado terceiro álbum, Still, consolidando seu status como uma estrela em ascensão no reino do R&B alternativo.

“Vai ser muito divertido”, garante Erika de Casier ao apresentar seu terceiro álbum na faixa de abertura “Right This Way”. Aqui Erika deixa para trás a sensualidade que muitas vezes caracterizou seu trabalho e se transforma em uma diva. Ela concentra suas músicas no hiperpop, mas faz isso sem simplesmente passar superficialmente pelo gênero.

Com sons eletrônicos complexos, o álbum tem espírito soul com um pequeno toque de autotune e apresenta a imagem de uma mulher apaixonada. O aspecto sintético é consistentemente contrabalançado pelo uso do violão, da harpa (como na tenra “Anxious”), do piano emprestado do pop anos 2000 e até do jungle inglês moderno (como em “Lucky”). Além disso, muitas dessas faixas são pacificadas por outras mais íntimas, como a muito bem-sucedida “The Princess”.

Still toca direto ao coração. É um testemunho da diversidade de sua criadora, onde presenciamos desde melodias eletrônicas indianas até sintetizadores que imitam o fraseado de cítaras. O single “ice”, que conta com a participação da dupla norte-americana They Hate Change, estabelece brilhantemente o tom do álbum, enquanto “Twice”, com vocais mais sussurrados, prova que Erika de Casier é mestra em melodias e sabe exatamente como recorrer às suas raízes para criar seu próprio som distintivo.